quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Newton, Einstein, a Lei e o Sorriso

Qual a relação possível entre as nossas ações e a Terceira Lei da Mecânica Clássica ?

Todos os fenômenos, naturais ou não, são regidos por leis físicas. Esta afirmativa é óbvia. Por coerência e lógica, fica difícil não admitir a existência de leis que rejam as relações humanas, sentimentos e outros fenômenos sutis. Seguindo este raciocínio, resolvi estabelecer relações, na série de posts chamada “Escola Viva”, entre os mecanismos dos fenômenos que são estudados nas escolas com os dos fenômenos sutis das relações humanas.

Com a intenção de facilitar o entendimento do objetivo da linguagem utilizada neste post, é apresentado este fragmento de texto. Ele foi retirado de um parágrafo escrito por Pietro Ubaldi.

"Em outro lugar e de outra forma, falei especialmente ao coração, usando linguagem simples, [...] Aqui falo à inteligência, à razão cética, à ciência, [...] A palavra doce que atrai e arrasta, porque comove, foi dita. Indico-vos agora a mesma meta, mas por outros caminhos, feitos de ousadias e potência de pensamento,..." (Pietro Ubaldi)


Isaac Newton enunciou a Lei de Ação e Reação : “A cada ação corresponde uma reação de mesmas intensidade e direção e sentido contrário”.

Esta lei, que é aplicada aos fenômenos da Mecânica Clássica, pode explicar muitos fatos que ocorrem em nossas vidas. Veja o texto a seguir, atribuído a Albert Einstein :

“A vida é como jogar uma bola na parede :
Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
Por isso, nunca "jogue uma bola na vida" de forma que você não esteja pronto a recebê-la. A vida não dá nem empresta; não se comove nem se apieda. Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir aquilo que nós lhe oferecemos.”

Na Escola : Lei de Ação e Reação – Terceira Lei da Mecânica Clássica (Isaac Newton)

Na Vida : Cada ação nossa terá uma correspondente reação.

“... a cada um segundo as suas obras.” (Matheus 16:27)

“O que chamamos de sofrimento é uma reação da natureza a uma ação ilusória do homem.” (Nelson M. Silva)

"Procurando o bem para os nossos semelhantes encontramos o nosso." (Platão)

"O bem que fizemos na véspera é o que nos traz a felicidade pela manhã." (Provérbio hindú)

A Analogia : Quando sabemos que o que virá a ocorrer em nossas vidas depende de nossas ações, passamos a agir com muito mais responsabilidade e não poderemos responsabilizar a ninguém mais, além de nós mesmos, por tais acontecimentos. Portanto, não esqueça que cada ação gera uma reação, de mesma intensidade ...

Pense nisso !


Ideias Afins :

- Ciência e Vida
- Escola Viva
- Aprendizagem Significativa
- Aplicação das ciências nos fatos da vida
- Aplicação dos assuntos estudados na escola nos fatos da vida
- Lei de Ação e Reação
- Dentro da Lei


Informações Complementares :

Terceira Lei de Newton (Wikipedia)


Instrução e Felicidade, uma combinação possível !


Veja o que já foi publicado em Fatos e Ângulos - Blog Info sobre :

Escola Viva

Lei de Ação e Reação


22 Comentários:

O bEM viVER disse...

Nelson, boa tarde.

Olha, é verdade mesmo o que trazes no post.
E sabe, cada um absorve de acordo com o momento. E para o meu momento, estou tentando praticar essa frase: sabemos que o que virá a ocorrer em nossas vidas depende de nossas ações. Portanto, minhas ações estão sendo bem pensadas e planejadas, para que ocorra o que espero acontecer.

Obs.: deixei mensagem pra vc no dihitt.

Lena

ProfessorNelsonMS disse...

Lena

Gostei muito do que você escreveu sobre o planejamento. Quando entendemos que esta lei atua em nossas ações, sabemos o que, em linhas gerais, podemos esperar.

Espero que os resultados que você espera sejam alcançados.

Agradeço pela valiosa participação.

Um abraço.

Nelson

LL disse...

Nelson,
A analogia é perfeita. Por vezes até, a nossa acção pode gerar uma reacção desproporcionada, porque há que contar com outros factores, por exemplo a fragilidade ou um momento de desespero do outro.

Parabéns pelo artigo!

Abraços
Luísa

ProfessorNelsonMS disse...

Luísa

O seu comentário fez com que eu tivesse que pensar um pouco mais e isso é sempre bom !

Bem, segue, então, uma explicação que eu considero plausível : O que pode parecer ser uma reação desproporcional, deixa de ser quando consideramos que a nossa ação está associada a esses fatores que você citou, ou seja, a nossa ação não estava só, ela estava acompanhada dos tais fatores. Sendo assim, a ação real sobre a pessoa que aparentemente reagiu de forma desproporcional, foi a nossa, somada aos demais fatores.

Em verdade, a Teoria da Complexidade e a Visão Sistêmica, mostram que tudo está relacionado, é uma "Teia da Vida", como diz Fritjof Capra.

O seu comentário contribuiu significativamente para o desenvolvimento do tema abordado neste post, agradeço por isso e pela participação.

Um abraço.

Nelson

Ebrael Shaddai disse...

Nelson,

Obviamente, por lógica, concordo com as afirmações do texto, mas... tenho algumas observações. Mesmo não querendo me estender em sofismas, vou apontá-los:

O conceito de ação=reação é válido enqto, dentro de um ciclo de ações-reações, o sujeito manter o mesmo sistema de valores. E isso, os valores q damos às coisas, é extremamente subjetivo e, em muitos casos, volátil, mutável. E aquilo que percebemos, a rigot, para nós, é aquilo que é.

Se eu acho que uma coisa é boa ao fazê-la, tenho impressão que receberei, à frente, algo igualmente bom, por achar aquilo bom agora.

Se meus valores mudam (e tudo muda no mundo), posso achar aquele resultado ou reação natural àquela minha antiga ação não tão "favorável".

Entã, partindo desse exemplo, poderia supor que a cada ação variável, corresponderá uma reação igualmente variável.

Pense nisso!! Espero ter me expressado de forma inteligível!!

Abs!!

Ana Lucia Nicolau disse...

Oi, ótimo artigo...
abs

ProfessorNelsonMS disse...

Ana Lucia Nicolau

Agradeço pela participação e pelas palavras gentis.

Um abraço.

Nelson

ProfessorNelsonMS disse...

@Ebrael

Todas as linhas do seu comentário foram inteligíveis.

A contestação quando é feita de forma respeitosa, e assim você a fez, ela contribui para possibilitar maior clareza. Eu gosto de responder textos com essas características e fico contente quando comentários, concodantes ou não, contribuem para tornar o post mais relevante e este é o caso do seu comentário.

Iniciando, eu digo que o título do meu blog é "Fatos e Ângulos" justamente por eu levar em consideração a relatividade de nossas visões. Este nome foi dado, pois no início, quando ele tinha a estrutura de um site convencional, eu apresentava a mesma notícia por ângulos diferentes.


Então, continuando a resposta,eu digo que as Leis da Natureza elas são irretocáveis e independem do ponto de vista das pessoas em questão. As nossas interpretações apenas servem a nós, elas não mudam tais leis. Veja que as leis dos homens mudam para que possam se adequar aos novos pontos de vista, o que não acontece com as Leis da Natureza. Faço a citação a seguir para complementar esse parágrafo :

“O que chamamos de sofrimento é uma reação da natureza a uma ação ilusória do homem.” (Nelson M. Silva)

Portanto, independente da qualidade que atribuimos à uma ação nossa, a reação virá em função da Lei Natural, que nem sempre coincide com a interpretação que damos à qualidade do que praticamos.

Agradeço muito pela valiosa contribuição do seu comentário.

Um abraço.

Nelson

Histórias & Estórias disse...

Eu entendi o delicioso debate de vcs dois, Prof Nelson e Ebrael e talvez seja por esta porta que entro:

A ação sempre terá uma reação independente de eu senti-la ou não, por estar ou não dentro dos meus valores.Entendi, certo?

Então, partido desta premissa, acredito que se eu não sinto, não vejo e não ouço a reação provada por minha atitude, ela (a reação) não tem validade para meu crescimento como pessoa. Portanto, seu efeito torna-se nulo. Né não?

(Por favor, rebatam, adorei este papo!)

Cris Travassos disse...

Nelson,

Essas leis são muito pertinentes ao momento atual de superaquecimento do planeta. Entretanto, já as seguia antes pois acredito que a energia, seja ela pensamento ou ação, quando jogada no astral (como a bola), retorna com igual força.

Por isso estou sempre recomendando em meus textos que as pessoas tenham pensamentos positivos e exercitem isso o tempo todo.

Excelente!

Beijocas

ProfessorNelsonMS disse...

@Histórias & Estórias (Valéria)

Este debate está realmente delicioso, ele tem característica construtiva.

Para responder a você, vou considerar que seu comentário tem 4 parágrafos. Eu concordo plenamente com o que você escreveu no segundo parágrafo.

Quanto ao terceiro parágrafo, eu entendo que, neste caso,a reação é sentida, ela só não é compreendida. Sendo assim, o efeito não será nulo, pois é sentido, embora somente será compreendido mais adiante. Como exemplo, cito, novamente, o seguinte pensamento :

“O que chamamos de sofrimento é uma reação da natureza a uma ação ilusória do homem.” (Nelson M. Silva)

Ah ! Veja que coisa interessante. Para responder ao segundo comentário do Ebrael, eu citarei o livro e o filme chamados "O Ponto de Mutação". O nosso debate aqui tem algumas semlhanças com algumas cenas do filme. a maior parte do filme se passa com um debate, num ambiente muito interessante, entre três personagens : 2 homens e 1 mulher. Ela era uma cientista (Física), um deles um escritor e o outro um político (idôneo). Eles discutiam as visões mecanicista e sistêmica aplicadas aos fatos cotidianos.

Este debate está, realmente, delicioso.

Agradeço pela valiosa participação.

Um abraço.

Nelson

João Poeta disse...

Ação e reação. Depende de como nos deparamos diante essa questão. Eu posso receber uma ofença e não revidá-la - Mato a bola no peito e a ponho no chão. E posso amar e não ser amado. Posso compreender e não ser compreendido, mas acredito que todo efeito tem uma causa compreensível ou não, por enquanto...
João

Ulisses Junior disse...

Prof Nelson,

PARABÉNS pelo altíssimo nível no debate sobre o tema abordado.
Grandes contribuições abrilhantam ainda mais o que fora escrito antes.
Isso só serve para nos dar estímulo a mais e mais reflexões!
Um grande abraço,

Ulisses.

blogdacomentarista disse...

Amigo Professor, atrasada como sempre, mas aqui estou. Mas não foi tão ruim meu atraso dessa vez. porque pude apreciar este debate interessantíssimo. Observando os mecanismos da vida, muitas vezes consigo perceber as leis naturais em ação. Adorei sua postagem!

Mas quero levantar uma questão. Se toda ação causa uma reação, quanto tempo pode levar esta reação ou isso depende de algum fator externo?

Exemplifico: quando jogo uma bola na parede, consigo ver claramente a bola retornando em minha direção. Dependendo da força que utilizo ela volta mais rápido ou demora mais.

Mas nas situações cotidianas, eu percebo que nem sempre vejo a bola voltando na hora que joguei.

Pode acontecer de eu estar caminhando na rua e cair uma bola na minha cabeça. Vou ficar indignada e me sentir injustiçada, já que nem me lembro mais da bola que joguei há tanto tempo atrás.

Mas depois, parando para pensar, muitas vezes acabo reconhecendo que é a mesma bola que atirei antes. E até que demorou, mas ela acabou me achando.

Quando notei isso, no começo pensei que a vida era muito vingativa e com uma memória muito melhor que a minha. Depois percebi que tudo era uma reação aos meus próprios atos, que a vida utilizava para meu próprio aprendizado.Porque esquecer a bola que se atirou é fácil, mas a que acertou a nossa cabeça já é bem mais difícil.

Não sei se consegui ser clara na minha analogia. Ou se a minha forma de ver está correta.

Mas ainda não entendo o fator tempo nesta questão. Você pode me esclarecer?

Valeu muito esta visita! Um grande abraço! Denize

ProfessorNelsonMS disse...

@Cris Travassos

É interessante ver que cada um, a seu modo, utiliza esses conhecimentos para contribuir para o desenvolvimento de relações mais humanas.

Agradeço pela valiosa participação.

Um abraço.

Nelson

ProfessorNelsonMS disse...

@João, caro poeta

Eu entendo que as Leis da Natureza não são punitivas, mas sim educativas.

A forma exata e o tempo da reação, não podemos precisar, mas que "existem mais coisas entre o céu e a terra que a nossa vã filosofia desconhece", podes crer que há.

Grato pela valiosa participação.

Um abraço.

Nelson

ProfessorNelsonMS disse...

@Ulisses Junior, caro colega de trabalho

O resultado dos comentários, inclusive a sua valiosa participação, superaram, e muito, as espectativas que eu tinha. Poder estabelecer os diálogos que foram estabelecidos fez com que eu estivesse num estado de felicidade incomensurável. Esse estado de coisa é que faz valer o trabalho. Os comentários contribuiram de forma significativa para o engrandecimento do tema e, consequentemente, do post.

Agradeço pela valiosa participação.

Nelson

ProfessorNelsonMS disse...

@blogdacomentarista (Denize)

O seu texto foi muito claro e contribuiu muito para possibilitar alguns esclarecimentos.

Nos diálogos que tive anteriormente eu fiz algumas citações que têm a ver com as respostas que eu vou lhe dar, mas é importante salientar que essas explicações são minhas verdades, ou seja, são verdades relativas e não absolutas e são elas que guiam a minha vida.

Algo muito importante a considerar é o ponto de vista com que estamos observando as questões. As visões mecanicista e cartesiana, que são as mais familiares para a maioria das pessoas, faz com que isolemos uma parte do sistema para podermos compreendê-lo. Se for assim, ficam algumas dúvidas como a que você tem sobre o tempo em que a reação irá surgir, pois muitas vezes a reação não é "vista". Mas se usarmos a visão sistêmica, tão bem representada por Fritjof Capra e Edgar Morin entre outros, iremos observar as questões sem isolá-las, mas iremos levar em conta que cada ação está ligada, direta e indiretamente, a tantas outras (Teoria da Complexidade). Podemos "visualizar" a presença de infinitos vetores de ação e reação e estes terão, num dado instante, um vetor resultante, mas só num dado instante, pois este vetor resultante já terá interagido passando a necessitar de um novo equilíbrio e assim continua infinitamente. Ora, se aceitarmos isso, fica fácil de compreender porque pensamos, algumas vezes, que a reação não ocorreu, mas sabemos que ela ocorreu mas não de forma isolada - é a Teia da Vida - ela é tão rápida que eu estou "atrasado" na explicação.

Peço desculpa pela complexidade, mas só a Teoria da Complexidade tem ferramentas para explicar, de forma mais madura, e foi o que eu tentei fazer, embora eu saiba que o entendimento desta explicação não é simples.

Agradeço pela valiosa participação.

Um abraço, com muita alegria.

Nelson

Vera disse...

Natal...
Um momento doce e cheio de significado para as nossas vidas.
É tempo de repensar valores, de ponderar sobre a vida e tudo que a cerca.
É momento de deixar nascer essa criança pura, inocente e cheia de esperança que mora dentro de nossos corações.
É sempre tempo de contemplar aquele menino pobre, que nasceu numa manjedoura, para nos fazer entender que o ser humano vale por aquilo que é e faz, e nunca por aquilo que possui.

Noite cristã, onde a alegria invade nossos corações trazendo a paz e a harmonia.

O Natal é um dia festivo e espero que o seu olhar possa estar voltado para uma festa maior, a festa do nascimento de Cristo dentro de seu coração.
Que neste Natal você e sua família sintam mais forte ainda o significado da palavra amor, que traga raios de luz que iluminem o seu caminho e transformem o seu coração a cada dia, fazendo que você viva sempre com muita felicidade.

Também é tempo de refazer planos, reconsiderar os equívocos e retomar o caminho para uma vida cada vez mais feliz.
Teremos outras 365 novas oportunidades de dizer à vida, que de fato queremos ser plenamente felizes.

Que queremos viver cada dia, cada hora e cada minuto em sua plenitude, como se fosse o último.
Que queremos renovação e buscaremos os grandes milagres da vida a cada instante.
Todo Ano Novo é hora de renascer, de florescer, de viver de novo.
Aproveite este ano que está chegando para realizar todos os seus sonhos!

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!

Sissym disse...

Nelson, muito clara e inteligente a sua mensagem, apresentando estudos da física e correlacionando ao que podemos fazer de fato com nosso presente para ter como resultado, no futuro, algo positivo ou não.
Isso me faz lembrar o pai de umas amigas que sempre dizia: nunca feche uma porta, porque nela pode precisar passar novamente.

Bjs

Serenissima disse...

Professor Nelson,

Toda ação provoca um efeito, nem sempre o esperado. Quando doamos o que de bom há em nós, reabastecemo-nos, independente de recebermos o bem de volta, como reação.
A própria ação do bem alimenta o que de bom em nós existe.

Abraço carinhoso,
Serenissima

EternoAprendiz disse...

Professor Nelson,

Quero parabenizá-lo pelo espaço e agradecer por compartilhar tantas coisas boas.
Feliz Ano Novo!

ESCREVA-NOS UMA MENSAGEM POR E-MAIL !
Mensagem para Blog Info

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO